Brasil e Mundo Uncategorized

Nova greve dos Correios é marcada para terça; saiba o que a categoria pede

Direção dos Correios quer cortar direitos trabalhistas da categoria, que o presidente da estatal chamou de ‘benefícios’; Federação dos Correios reagiu

Por Brasil Econômico

Os funcionários dos Correios confirmaram uma greve a partir da próxima terça-feira (4), em resposta ao corte de direitos trabalhistas da categoria. O presidente dos Correios, Floriano Peixoto, chamou de “benefícios” os direitos dos correios, e defende cortes e mudanças à categoria como forma de contenção de gastos em meio à crise da pandemia.

A Federação Nacional dos Trabalhadores da Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) respondeu Floriano em nota.”Trabalhadores dos Correios têm os menores salários entre todas as estatais, com o início de carreira de R$ 1,7 mil, enquanto a elite dos Correios vem praticando salários para indicações políticas. Apenas com o salário do presidente Floriano Peixoto, o custo anual chega a R$ 1.128 milhão”, disse a Federação.

Em meio à crise, a diretoria dos Correios pretende fazer cortes. Se for aprovada, a mudança proposta vai reduzir o adicional de férias, o adicional noturno, a licença maternidade, entre outras concessões. A indenização por morte ou invalidez e o pagamento de multas dos funcionários serão cortados se a mudança for firmada.

O governo federal vê a greve como um agravante para a economia, afetada pela pandemia de Covid-19. A visão da cúpula dos Correios é que esses benefícios devem ser cortados com a queda na economia e o aumento do desemprego.

A redução financeira anual com os cortes de direitos é estimada, pela direção dos Correios, em R$ 600 milhões. O presidente da instituição, Floriano Peixoto, falou à Revista Veja que os correios “Têm benefícios extra-CLT, e a gente entende que são bastante diferenciados dentro da realidade brasileira. Tem de ficar clara a diferença entre direitos e benefícios.”

Após a publicação da entrevista na última sexta (24) a Federação dos Correios divulgou uma nota de repúdio às falas de Peixoto, além de se posicionar contra a privatização da estatal, que tem sido citada por Paulo Guedes e Bolsonaro.

Na quinta-feira (30), os sindicatos que integram a Federação enviaram um comunicado ao presidente da estatal, Floriano Peixoto. Na mensagem, a categoria confirmava a greve por tempo indeterminado, já que não teve “suas reivindicações atendidas pela empresa na mesa de negociação”.

A estatal, em seguida, respondeu. “Certa do compromisso e da responsabilidade de seus empregados com a população e o país, espera que a adesão a uma possível paralisação, se houver, seja ínfima e incapaz de prejudicar o serviço postal e os brasileiros”, diz a empresa.

O governo federal quer levar a questão para o Tribunal Superior do Trabalho (TST) para impedir a greve.

Related Articles

Além Paraíba restringe funcionamento do comércio e tem toque de recolher

William Dolavale

Confederação Israelita do Brasil condena uso de slogan nazista pelo governo Bolsonaro

William Dolavale

Brasil recebe hoje 1,02 milhão de vacinas do consórcio Covax-Facility

William Dolavale

SUPERMERCADOS COMEÇAM A LIMITAR QUANTIDADE DE ARROZ POR CLIENTE.

William Dolavale

Trabalhadores autônomos foram mais prejudicados por pandemia em 2020

William Dolavale

Após progressão para faixa laranja, Prefeitura reabre praças em JF

William Dolavale

Estradas da Zona da Mata e Vertentes terão mais de 30 novos radares

William Dolavale

Aedes aegypti: municípios da Zona da Mata e Vertentes chegam a quase 4.650 casos prováveis da dengue em 2021

William Dolavale

Vereadores de Bicas pegam pesado: acabaram com a Festa, multa de R$20.000,00.

William Dolavale

Nevascas provocam cancelamento de mais de cem voos no Japão

William Dolavale