Brasil e Mundo

Brasil não terá horário de verão pelo segundo ano consecutivo

Medida foi adotada entre 2008 a 2018 com o objetivo de economizar o consumo de energia em dez estados

Por Tribuna

Pelo segundo ano seguido o Brasil não terá horário de verão, instrumento usado de 2008 a 2018 com o objetivo de economizar o consumo de energia em dez estados que registram maior luminosidade entre outubro e fevereiro.

Por decreto em abril do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro encerrou o horário de verão após estudo do Ministério de Minas e Energia (MME) apontar que com o fim da mudança temporária o consumidor teria uma economia de R$ 100 milhões.O conteúdo continua após o anúncio

“Nos últimos anos, com as mudanças no hábito de consumo da população e a intensificação do uso do ar condicionado, o período de maior consumo diário de energia elétrica foi deslocado para o período da tarde, quando o horário de verão não tinha influência. Como a luz traz consigo o calor, o horário de verão também passou a produzir um efeito de aumento de consumo em determinados horários, que já superavam seus benefícios”, explicou o MME em nota na época.

A redução da economia do horário de verão começou a ser percebida e questionada em 2017, quando foi registrada uma queda de consumo da ordem de 2.185 megawatts, equivalente a cerca de R$ 145 milhões. Em 2013, a economia havia sido de R$ 405 milhões, caindo para R$ 159,5 milhões em 2016, uma queda de 60%.

Related Articles

Mortos pela covid-19 ultrapassam marca de 11 mil no Brasil

William Dolavale

Pernalonga completa 80 anos de deboche e ousadia

William Dolavale

OMS DIZ QUE VIAGENS TERÃO QUE RECOMEÇAR E FAZ APELO A PAÍSES

William Dolavale

Arroz a R$ 40? Entenda como a alta do arroz virou um pepino para o governo

William Dolavale

Juiz discorda de transferência de Adélio Bispo de MS para MG e pede que STJ decida sobre o caso

William Dolavale

Veja quem são os empresários que ganham com a cloroquina no Brasil

William Dolavale

País viverá maior tombo na economia de todos os tempos. Governo teme paralisia e crise social a partir de julho

William Dolavale

MEC prevê corte de R$ 50 milhões em verbas para universidades federais da Zona da Mata e Vertentes

William Dolavale

Academias de ginástica poderão reabrir em JF a partir de sábado

William Dolavale

Após aglomerações, Rio veta consumo de bebidas após 21h em ambientes externos

William Dolavale

Deixe um comentário